terça-feira, 17 de novembro de 2015

Brasil x Peru

Trilha da Noite





Rust Cohle






"A abundância de faces que se sucediam ininterruptamente em sua cabeça criou a lenda de que ele era mágico; mas seu rosto permanecia absolutamente infantil; o rosto dos outros homens é que se moviam com premeditada desigualdade; muitos de seus companheiros se fantasiaram de anões para desapontá-lo; inúmeros se metamorfosearam em deuses secundários, em coisas estanques, em manequins, em pássaros empalados. Pretenderam descobrir a sua tumba, e não conseguiram: ele às vezes se declarava morto, porque a morte era apenas uma continuação. Contudo, desenterraram milhares de retratos de sua vida contínua com todos os defuntos que cruzaram a sua órbita: ele se reviu e chorou diante dos documentos de sua consagração." 


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

domingo, 1 de novembro de 2015


"Tinha dezesseis anos e me achava numa sala onde exibiam "Alphaville". Hoje em dia, é banal (para os escritores e críticos) que Godard seja apontado, no coração da Nouvelle Vague, como o seu grande inovador; mas na época ele era completamente marginalizado. Ainda consigo ver aquele casal sentado bem diante de mim, levantando-se com apenas dez minutos de projeção. Foi precisamente neste dia que percebi que gostaria de ser cineasta e, também, aquilo que me esperava" (Philippe Garrel).

Le Vent de la nuit



"Aos seis anos, eu era muito mais eu mesmo do que aos dezessete. E, por isso, uma das coisas mais vis que conheço é o que escreveu Jean-Paul Sartre sobre a própria infância. Seu livro As palavras é a cínica, a hedionda falsificação de um menino. Ou mais do que falsificação. É como se o adulto Sartre estuprasse o menino Jean-Paul, num terreno baldio" (Nelson Rodrigues, A Menina sem Estrela).

L'Enfance nue




"The meaning of art is not authenticity but the expression of authenticity."


Agradeço aos caros José Oliveira e João Palhares pelo convite e, desde já, aproveito para divulgar o trabalho.


Arquivo do blog

Seguidores